Uma idéia que virou realidade...

Pessoal,

Como todos sabem, pelo menos aqueles que me conhecem, sou apaixonado pela temática ambiental. E após muito refletir, decidi criar este blog para expor minha idéias e tentar divulgar notícias, inovações nesta área, e claro, opiniões e análises críticas do que vem ocorrendo no mundo da sustentabilidade.

Peço que comentem, sugiram assuntos, critiquem, enfim, que este seja um espaço para discutirmos os mais variados assuntos.

Beijos e abraços a todos!

Jean Marc Sasson

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Pré-Sal já nasceu fadado ao fracasso

Recentemente, estivemos às voltas com o leilão do poço de Libra, o primeiro a ser leiloado do Pré-Sal brasileiro. 
Grandes gigantes petrolíferas se juntaram à Petrobrás para explorar este poço que é considerado o maior já achado em território brasileiro, pagando a bagatela de 15 bilhões de reais - o lance mínimo exigido, fora o investimento de trilhões que AINDA deverá ser feito.
Neste contexto, há atualmente explorações no Pré-sal africano e em outras regiões mundo afora. Ocorre que esta exploração em águas profundas é de elavado risco. 
Isso porque as técnicas existentes são escassas e onerosas por serem aplicadas em uma camada muito profunda. 
Segundo, em um mundo que caminha para a economia de baixo carbono, apostar na exploração de Petróleo em regiões profundas não há certeza que vá encontrar o pote de ouro, vide o caso recente da OGX que apostou em grande produção e só encontrou vento por lá.
Atualmente, o preço do barril tem variado entre US$ 100 e US$ 110 nos últimos dois anos. Para compensar economicamente a exploração nestes novos locais, o preço do barril deverá ser algo em torno de U$ 200,00, afirmam os economistas. Portanto, não é uma questão geológica, mas sim econômica. 
Hoje o petróleo é elemento inerente à Economia mundial. Está presente no Transporte, nos plásticos, querosene etc. Mas deveremos rever nossos conceitos rumo à economia de baixo carbono.
Investir em energias limpas  - cada vez são mais baratas-  é a nova tendência. Encontrar substitutos aos mais diversos aplicações do Petróleo -  substitutos ambientalmente corretos - também. 
O petróleo não irá acabar. Mas a demanda por ele sim!


Um comentário: